Condessa Prime e sua história de Superação.

 

Nazaré Alencar, 53 anos casada, Dona de Casa, Mae de 3 filhos dedicou sua vida a sua família. nunca mediu esforços para que não faltasse amor e harmonia no lar.

Igor Alencar filho Caçula de 3 filhos, 32 anos, sempre observador e determinado com experiência de 10 anos no Varejo e 5 anos no Agronegócio, sempre alimentou o sonho de um dia empreender.

Luna Alencar, Mulher determinada, que se casou aos 16 anos e foi sempre o braço direito e equilibro na vida do Igor, sendo em determinados momento a peça chave para construção desse legado.

Ao chegar na casa da sua mãe (Nazaré Alencar) junto com sua Esposa (Luna Alencar) para uma visita, o Filho Caçula de 3 irmãos, Igor Alencar se depara com a luz da sala desligada e sua Rainha (apelido que deu a sua mãe) sentada no sofá. ele liga a luz e sua Rainha rapidamente pede para que ele desligue a mesma, sem entender ele a desliga e percebe que algo não estava normal, sua mãe que sempre resplandeceu um sorriso como o sol do meio dia, estava com a voz baixa, semblante triste. Percebendo que algo tinha acontecido, começa um diálogo entre os 3 que mudaria a vida de todos.

A ideia de empreender sempre teve presente em minha mente, desde jovem fui apaixonado por estudar, ler e ouvir sobre histórias de empresários de sucesso. Com 14 anos começou minha jornada de trabalho, comecei minha carreira profissional descascando alho, ganhava 1 real por caixa de alho que conseguia limpar, não me recordo bem quantos alhos tinha cada caixa, mas lembro que não eram poucos. estudava de manhã e à tarde seguia para meu tão honroso trabalho, essa experiência foi crucial na minha vida pois meus patrões reforçaram algo que sempre meu pai pregou em casa, trabalho traz dignidade e respeito, isso marcou minha vida. Não ganhava muito em dinheiro mas, já me ajudava a aliviar nas despesas de casa, já comprava meu material escolar, meu lanche na escola e alguns objetos de desejo que na época faziam grande diferença na minha vida, logo meus patrões tinham outros projeto e encerrou ali minha carreira no segmento de alho.

Após essa experiência vi que precisa de um curso para me lançar no mercado de trabalho, minha rainha entrou em cena ( Rainha apelido que dei a minha mãe) entrou em cena com seu trabalho de doméstica e para complementar a renda fazia trabalhos artesanais de crochê, fazia bicos em panos de prato, jogos de cozinha etc. e assim custeou com muito sacrifício o início do meu curso, lembro que chegou um período que ela não conseguiu mais pagar meu curso, e meus professores simpatizaram comigo, viram meu esforço e insistiram para que não desistisse, insisti no curso e tinha uma aula destinada a aprender a fazer um curriculum, e os melhores alunos teriam seu curriculum enviado para um novo shopping que estava sendo construído na cidade, para minha surpresa, meu curriculum foi um dos selecionados e breve recebi uma ligação que mudo minha vida. uma psicóloga contratada pela empresa (A Maior Livraria da Cidade), me ligou, para marcar uma entrevista, não me contive de alegria. estava lá no dia e horário marcado, passei em todas as fases e consegui minha vaga de Office Boy, trabalhei nessa empresa por 10 anos. ao logo desses 10 anos passei por vários cargos na empresa até virar Gerente, me tornei um apaixonado por livros, Me casei com a Mulher da minha vida, meu equilíbrio Luna Alencar,  ainda dentro dessa empresa recebei uma proposta para gerenciar a área comercial de uma transportadora, nessa empresa tive a oportunidade de conhecer vários estados e pessoas que deram um novo norte na minha vida. meus Diretores investiram no meu crescimento e aprendizado, fazendo com que minhas experiências na empresa fossem incríveis.

Até que um dia, ao chegar na casa da minha Rainha (Nazaré Alencar) junto com minha Esposa para uma visita, me deparai com a luz da sala desligada e minha Rainha sentada no sofá. liguei a luz e minha Rainha rapidamente pede para que eu a desligue, sem entender desliguei e percebi que algo não estava normal, minha Rainha que sempre resplandeceu um sorriso como o sol do meio dia, estava com a voz baixa, semblante triste. Percebi que algo tinha acontecido, comecei ali um diálogo entre nós 3 que mudaria a vida de todos nos.

Minha rainha estava com princípio de depressão, por conta da diabete que já a 10 anos vinha tratando.  Nessa visita chamei a atenção dela para o quanto ela era forte e que não deveria desanimar e que podia ir mais longe. (nesse período ela era dona de casa ).

Ao chegar em casa pedi a ajuda da minha esposa para me ajudar a reanimar a minha Rainha, minha esposa que trabalhava com investidora autônoma no mercado financeiro multiplicado a renda que tinha como gestor. Rapidamente topou. Levamos a ideia para minha mãe de comprar toalhas de banho em lojas especializadas em trabalhos de artesanato e ela fazer sua arte em choche e revender para os amigos, minha Rainha conhecia uma bordadeira em máquina, que fazia o bordado na toalha e revendiam para amigos e vizinhos.

O networking da Rainha no Bairro era fenomenal, conhecia todo mundo, quando andava na rua parecia candidato a vereador em ano eleitoral. O negócio começou com R$ 423,00

Inicialmente era somente Minha rainha e Minha esposa no negócio eu ajudava nos intervalos com meu conhecimento comercial, como o intuito foi ajudar minha mãe a ter uma nova ocupação, no início me  envolvia muito pouco, o negócio se resumia a comprar matéria prima no centro da cidade, trabalhar o artesanato e revender para os amigos.  A sede da empresa era a área da casa da minha Rainha, 1x por semana minha esposa se deslocava para a sede e eu aproveitava para visitar minha Rainha e me divertir ver elas se tornando empreendedoras. Numa dessas visitas decidi olhar com mais calma o negócio e vi que a margem dele era razoavelmente boa, porem as 2 não estavam levando tão a sério o negócio. Como a sede era na casa da minha mãe, não existia regras, procedimentos, análises de custo fixo e variável, estratégias de marketing. Algo que numa empresa formal tem como rotina. Foi aí que decidi profissionalizar mais o negócio das duas empreendedoras, para que elas levassem mais a sério, vi que parte da margem do produto ficava no bordado que era terceirizado. Dei a tarefa para Luna de procurar cursos de bordado e verificar o valor de uma máquina doméstica de bordado.

Após ter essas informações em mãos fiz um empréstimo pessoal para o negócio, onde o dinheiro seria destinado a fazer o curso e comprar a máquina e assim elas teriam que pagar esses custos com a venda das peças.

Luna se apaixonou pelo curso e fez uma amizade muito grande com sua professora, que após o curso cultivaram uma amizade que dura até hoje. Compramos a máquina, e na sequencia vi que outro desafio seria comprar direto da indústria as toalhas para ter uma margem ainda maior, começa ai mais um desafio na vida das empreendedoras, tinham a máquina sabiam bordar, tinham clientes e encomendas, porem o negócio  não tinha sede própria, a máquina de bordar ficava no nosso apartamento na mesa da cozinha

as peças produzidas ficavam na casa da Rainha para que fosse comercializadas em visitas a casa das amigas, ou quando as amigas viam até sua casa para visitá-la eram surpreendidas com lindas peças produzidas com muito amor e dedicação. Vendo que o ânimo da minha Rainha avia sido restaurado e minha esposa estava muito envolvida, decidi investir mais um pouco no negócio, um apartamento ao lado do meu estava sendo desocupado, rapidamente tive a brilhante ideia de alugar junto com os moveis deixados pelos antigos moradores, para que ali fosse a sede da empresa. Para mim era a ideia perfeita ter minha mãe próximo de mim, minha esposa não teria custo para se deslocar até a casa da minha rainha diminuindo assim os custos do negócio além de agora podermos chamar os representantes da indústria para conversar mais formalmente.

Para mim parecia a ideia perfeita, até perceber que minha esposa não estava gostando muito da ideia, sogra do lado de casa, sei não hem. (confesso que me divertia com isso)

Nessa fase da empresa já tínhamos que criar uma marca, Pensei preciso de alguém que entendesse a alma do projeto, rapidamente veio a minha mente o Maior e Melhor Publicitário do mundo Maykon Teixeira, ante de ir até ele precisávamos de uma nome, foi ai que Luna entrou em ação com sua mente criativa e pensou Condessa, você já chama sua mãe de rainha, além disso gosto do nome, após uma reflexão rápida pensei, faz sentido o nome, na era medieval o oficio do bordado era ensinado a nobreza, a mulheres prendadas. Tai gostei, mas falta algo para se diferenciar, afinal já existiam outras empresas com esse nome, acrescentei o Prime. Foi dessa forma que surgiu o Nome CONDESSA PRIME.

Levei o nome e a história para ao nosso amigo Publicitário. que como bom profissional captou rápido a mensagem e traduziu isso na logo marca da empresa.

Assim já tínhamos uma marca, sede, maquinário, clientes. Parecia tudo perfeito, elas conseguiam pagar os custos do negócio. Ei que as empreendedoras decidiram reivindicar algo. Queremos ter renda, disso. Mas para quem vamos pedir nossos direitos. Se estamos devendo nosso investidor e somos nós as proprietárias. Aí surgiu mais um desafio, como ter lucro no negócio. se tudo que ganhavam era para pagar as despesas fixas e custos variáveis, fora que a carteira de clientes era limitada aos amigos que já não tinham mais o que comprar. Foi aí que elas entenderam que precisavam capitar novos clientes. Percebendo isso decidi compartilhar mais um pouco do meu conhecimento. Vocês precisam criar um facebook e Instagram da condessa para atingir mais clientes. E assim de uma forma bem amadora surgiu a CONDESSA PRIME NAS REDES SOCIAIS.

Rapidamente conseguimos atingir um público maior, mas ainda se restringia a conhecidos e muito poucos desconhecidos. Após chegar um dia de viagem do meu trabalho na transportadora, fiz uma reunião com as 2 jovens empreendedoras e ali elas entenderam que precisavam escalar o negócio ou aquele sonho iria morrer, porque as despesas só aumentavam e o investidor não estava satisfeito kkkkkk. Dei mais um empurrão falando com um amigo proprietário da academia que mealhávamos, se ele não gostaria de comercializar em sua loja toalhas bordadas com sua Marca. Ele me respondeu com brilho nos olhos, Igor você leu meu pensamento, precisava de algo para dar de brinde as mães do alunos, (no próximo mês era mês das mães) me perguntou o valor de uma peça, passei um valor bem abaixo do mercado para ter a experiência, ele gostou do preço e eu perguntei quantas peças você precisa 5,10 ?, ele sorriu e disse 50 unidades consegue me entregar em quantos dias. Respondi sem hesitar 3 semanas.

Quando contei a minha esposa e rainha comemoramos o feito, quando disse a quantidade e o prazo de entrega. Sumiu o sorriso do rosto das 2 e entrou o medo e começaram a fazer cara de quem gostariam de me bater. Eu sem entender perguntei o que fiz de errado. As 2 como num coral disseram temos apenas uma máquina doméstica e não e só colocar na máquina tem todo um processo até ela ir para máquina e após bordar tem que fazer a limpeza das peças.

Vi que tinha feito algo sem o consentimento das especialistas, tive que arcar com o custo de comprar mais uma máquina. Elas ficaram felizes pois tinha rancado do investidor atrapalhado mais uma máquina para seu negócio. Para nossa surpresa a máquina nova apresentou defeito não tínhamos todas essas peças em estoque tivemos que fazer pedido da indústria, e assim fiz mais um investimento no negócio. Resumindo a história 1 dias antes da entrega Luna para conseguir entregar as 50 peças teve que usar as máquinas da loja até chegar a máquina nova da garantia.

Após essa experiência eu estava animado com as 2 empreendedoras, minha mãe já resplandecia aquele sorriso novamente minha esposa queria me encher de porrada porque o marido dela era o investidor e cobrava resultados kkkkkkk e minha rainha me defendia de tudo e de todos kkkkkkk. Agora que elas já tinha a experiência e o que postar no instagram para dar mais credibilidade, o negócio não parou mais, depois veio outra academia, que já fez pedido acima de 100 toalhas, salões de beleza até que uma amiga que fez um curso comigo que trabalhava da DAF Caminhões viu na minha página particular as postagem e pediu um orçamento para dar de brindes aos clientes que iriam para uma viagem a CANCUN, acredito que ela não tinha noção da importância daquele pedido para empresa, fiz questão de participar dessa negociação. Enfim fechamos o pedido, e as 2 conseguiram entregar. e nessa fase já tínhamos clientes de peso no portfólio. Nesse momento comecei a olhar o negócio com outro olhar.

Fiz uma reflexão, ai poder ter um negócio, que pode ser escalado. Nesse dia varei a madrugada fazendo um plano de negócios da empresa onde planejei todas as etapas da empresa. Peguei um caderno de capa amarela (amarelo pra mim é atenção) nessa análise mais profunda vi que o negócio do bordado não daria lucro ao ponto de fato conseguir dar uma remuneração satisfatória, levando em consideração os custos, trabalho das 2 e vi que não conseguiriam devolver meu investimento. Me reuni com as 2 no meu horário de almoço e apresentei pra elas que precisávamos aumentar o mix de produto afim de obter mais lucratividade.

Começou ali a busca por indústrias e empresas para se tornarem nossas fornecedoras. Imaginem comigo os representantes das indústrias subindo 3 andar com mala de amostras de produtos em um residencial para apresentar para 2 aprendizes de empreendedora e um gestor que não estava no negócio, estava ali no seu horário de almoço apenas para ensinar as 2 como se comportar numa negociação. Eu sempre pedia a todos que viam até a sede da empresa, para acreditar no negócio, e que lá na frente seriam recompensados com grandes pedidos e sempre reforçava não vou esquecer o que estão fazendo por nos agora. Nossos pedidos eram modestos, quando apresentava o plano de negócio muitos ali acredito que tinham um pouco de dó ou até dúvida sobre o que ouviam. Porque meu plano de negócio nunca foi de ter apenas loja própria, desde o início a ideia era franquear. Nessa fase eu estudava um pouco sobre o assunto e via o crescimento do segmento no País. Conseguimos comprar das indústrias porem o negócio cada vez mais precisava de injeção de capital e ninguém tinha salário. E eu vivia uma dupla jornada, executivo na transportadora e nos intervalos sócio de uma empresa que não dava lucro, mas tinha um grande futuro. Após mais uma reflexão profunda sobre o negócio que já não estava em fase embrionária, comecei a pensar que tínhamos que abrir uma loja, levei a ideia as sócias

Que no início não ficaram muito felizes, pois o negócio já estava ficando insustentável ninguém ganhava lucro, após minha entrada na sociedade as cobranças não eram de filho e esposo e sim de sócio. Sempre salientei sou filho e esposo daquela porta para fora. Na empresa somos todos donos. Ai já começava os desafios de uma empresa familiar. Você imagina um filho repreendendo mãe e a esposa, logo elas se uniram. Todos contra essa socio tirano que escraviza a mãe e a esposa kkkkkkk. Com muito sacrifico conseguimos contornar essa fase difícil.

Acredito muito em Deus, e não por acaso em um momento de distração no Instagram vi algo que mudo nossas vidas para sempre, vi um anúncio de um bazar que estava sendo organizado pelas Blogueira Marina e Bruna do Blog PAPO DE MENINA. Não pesei 2 vezes implorei para participar, porém o evento já era no final de semana. Após muitos pedidos e orações elas conseguiram um espaço pra nos não ficamos em localização privilegiada, mas para nós estávamos em uma feira com grande visibilidade.

Bem no início da feira um dos stands de destaque estava vazio, faleceu alguém próximo a moça que alugara o ponto e as organizadoras perguntaram se não queríamos assumir o ponto sem custo

Sem respirar, falei temos mercadoria para os 2 pontos assim você não fica com nenhum lugar vazio, quando entramos para o novo espaço. Percebi que não tinha equipe para tomar conta dos 2 pontos se desdobramos em dez para dar conta e logo vendemos todos os produtos de um stand e ficamos com mercadoria somente para o stand principal e ai percebi que não tinha produto para o segundo dia de bazar. Nesse exato momento veio o putz, não posso ter loja, não tenho estoque para aguentar nenhum dia forte de venda.

Foi aí que pedi ajuda a alguns representantes para me emprestar mercadoria que tinha para amostras e para venda deles particular, me comprometi a não cobrar nada. Mas que eles não me deixassem sem mercadoria para não passar vergonha no evento.

Foi nesse exato momento que nos 3 vimos que de fato tínhamos um negócio que poderia dar certo.

Os clientes da feira elogiavam o atendimento, a qualidade das peças e o preço justo, e com frequência éramos indagados com a pergunta onde fica a loja de vocês? Aproveitei esse momento para ali mesmo fazer uma pesquisa de mercado, devolvia a pergunta onde vocês gostariam que fosse nossa loja? Esse dia foi magico, tinha uma enxurrada de informação necessária para dar o passo seguinte. Sabia onde instalar as lojas, que gostavam do nosso produto, tínhamos um atendimento diferenciado e nosso preço estava dentro do orçamento dos clientes, aproveitamos para divulgar nossas redes sociais, e com isso ganhamos muitos seguidores e por consequência vários feedbacks onde melhorar.

Ali meus projetos mudaram, minha rainha estava radiante, minha esposa já acreditava no negócio, tínhamos tido lucro para pagar as mercadorias e custos do mês apenas com 2 dias de venda. Porém ainda ninguém tinha salário ainda. Decidimos inicialmente tirar salário da Empresa apenas para Rainha, afinal o projeto só existiu por conta dela.

Após esse bazar os processos da empresa mudaram, nossa meta era abrir uma loja e começar a comprar mais produtos, nosso instaram já tinha uma agencia de publicidade nos auxiliando, eu já estava comprometido com o negócio, porem continuava meu trabalho como executivo na transportadora, confesso que essa dupla jornada era exaustiva Mas necessária. eu tinha um compromisso com a empresa que trabalhava e jamais eu aceitaria entregar menos do que o melhor. Ainda mais por tudo que eles faziam por mim com pessoa e profissional.

Me vi num ponto de inflexão sair da empresa que me dava conforto e estabilidade e me dedicar de corpo e alma a CONDESSA PRIME.

Decidi pedir minha demissão dia 7 de SETEMBRO 2019 (DIA DA INDEPENDENCIA) foi meu último dia na empresa e dia 9 de SETEMBRO 2019 Inauguramos nossa primeira loja física. Nesse mesmo ano inauguramos mais 2 lojas. A empresa rapidamente se destacou pelo seu atendimento e preço justo. Fruto da nossa missão que esta alicerçada no tripé, excelência no atendimento, produtos de qualidade e preço justo.

Até que em março de 2020 uma tragédia abala nossas vidas minha Rainha vem a falecer por conta de uma Pneumonia. Não podia acreditar que Deus tinha tirado de mim, minha Rainha. a mulher que sempre foi exemplo de amor, família e tudo mais que vocês possam imaginar que uma pessoa boa possa ter de qualidade.

Fiquei sem chão, um buraco enorme se abriu dentro de mim.

Após essa dura perda tive que ressignificar nosso projeto, encarei a CONDESSA PRIME, como uma legado a ser construído para que a memória da minha Rainha, jamais fosse esquecida, sempre que inauguro uma loja tenho a certeza que estou levando a mais pessoas essa filosofia de amor ao próximo, aumentamos o quadro de funcionários, conseguimos gerar emprego e renda. Ate que em abril explode a Pandemia do COVID 19, o movimento das lojas começa a cair por conta do medo que tomou conta do mundo. O noticiário não parava de atualizar o numero de mortos, decreto após decretos vimos a receita da empresa cair, ficamos com todas nossas lojas fechadas, por 2 dias fiquei em casa, confesso que estava muito nervoso, ainda mais quando pensava no vencimentos das duplicatas, nos empregos e de quantas pessoas dependiam dessa renda gerada pela CONDESSA PRIME direto e indiretamente. Tinha recém inaugurado uma loja, feito um investimento razoável nessa loja, tínhamos pedidos de mercadoria a caminho, e um dia a noite onde confesso que estava muito estressado minha sabia mulher, solta, você esta nervoso por que você não tem opção, temos que permanecer com as lojas fechadas. Essa palavra não tem opção não entrava na minha cabeça, e não dormi esse dia, ao amanhecer fizemos uma reunião, onde declarei não vamos demitir ninguém, não vamos aderir a nenhum programa do governo, vamos lançar uma mega promoção com os produtos que temos em estoque e vamos honrar nossos compromissos. Lançamos o serviço de Delivery da Condessa que rapidamente se tornou um sucesso. Conseguimos não só vender todo nosso estoque, manter todas as duplicatas em dia, como tivemos que fazer novos pedidos.

Essa experiência foi tão magnifica na nossa empresa que cresceu 400% durante a pandemia, conseguimos além de equilibrar o caixa, inaugurar mais uma loja no Município Vizinho, e conseguimos avançar com o Projeto da Franquia.

Essa crise foi um divisor de águas na empresa uma vez que saímos fortalecido dela e com vários projetos em andamento.

Lembra das blogueiras do bazar no início da empresa, somos parceiro comerciais e amigos até hoje. Apesar de ser uma empresa jovem no mercado, temos projetos desenhado para os próximos 10 anos, acreditamos muito não apenas no nosso estado como no país, tenho a certeza de que o Brasil vai experimentar nos próximos anos uma revolução em todas as áreas.

O varejo vai ter que acompanhar o novo consumidor que está surgindo, é de conhecimento público que após 21 dia fazendo a mesma coisa, isso tende a se tornar um hábito, imagina quantos novos hábitos foram criados pelo consumidor nesses vários meses de confinamento. Os futuros consumidores que estão se alfabetizando em plataformas on-line por conta do fechamento das escolas. Enxergando isso a Condessa Prime está se preparando para participar e revolucionar no mercado de cama, mesa e banho.